Comunicação / Notícias (outras)

Comemorações encerraram com casa cheia
O jantar que marcou o encerramento das comemorações dos 110 anos da AICCOPN contou com a presença do ministro das Obras Públicas, Transportes e Habitação, Valente de Oliveira, o secretário de estado da Habitação, Jorge Costa, bem como, com o presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, entre outras individualidades ligadas à política, mundo empresarial e ao sector da construção.

A cerimónia, que juntou mais de 800 convidados, foi inaugurada pelo presidente da AICCOPN, Rui Viana, que optou por não abordar questões mais sensíveis da actualidade política portuguesa, como forma de preservar o clima de festa.
"Não vou falar da falta de obras públicas, do novo Código de Trabalho, das ameaças contidas no Orçamento de Estado, como o pagamento especial por conta, ou dos atrasos nos pagamentos, que estão a estrangular a tesouraria das empresas", disse Rui Viana, não deixando contudo de sublinhar que "a AICCOPN continua empenhada na defesa dos interesses dos industriais da construção e, ao fazê-lo, está, necessariamente, empenhada na defesa de um Portugal mais moderno, mais competitivo, mais justo e solidário".

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Habitação adoptou a mesma linha "optimista", pedindo aos empresários portugueses tranquilidade.
Valente de Oliveira anunciou "que há muita auto-estrada que pode ser lançada no ano que vem", sublinhando que o plano de investimento para o próximo ano aumentou dos 1.900 milhões de euros previstos para o ano ainda em curso para 2.790 milhões de euros.

À margem do PIDDAC (Plano de Investimento e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central), Valente de Oliveira anunciou ainda que o investimento directo do Estado se traduzirá, nos próximos quatro anos, na ordem dos cinco mil milhões de euros anuais.

A cerimónia não terminou sem que, pela mão do governante, fossem entregues os diplomas de ouro aos associados que completaram 50 anos de inscrição na AICCOPN.

Madredeus com AICCOPN

Ainda no rescaldo das comemorações dos 110 anos da AICCOPN, de referir que, poucos dias antes do jantar de encerramento, o Coliseu do Porto foi palco de um concerto dos Madredeus - Euforia -, promovido pela associação.

Um concerto único na cidade, para apresentação do novo álbum dos Madredeus: Euforia. Um trabalho que resultou da colaboração do reconhecido grupo português com a Flemish Radio Orchestra, dirigida pelo maestro Bjarte Engeset.
Euforia contempla 25 das mais conhecidas canções dos Madredeus, orquestradas pelo maestro António Vitorino d'Almeida.
O Coliseu do Porto, completamente esgotado, viveu uma verdadeira noite de euforia, num concerto inesquecível oferecido pela AICCOPN à cidade.
Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter