Comunicação / Notícias (outras)

AICCOPN Recebeu no Porto Regulador Angolano do Sector

A
AICCOPN - Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas recebeu a 21 de Setembro, na sua sede, no Porto, uma delegação da CONICLE - Comissão Nacional de Inscrição e Classificação de Projectistas de Obras Públicas, Empreiteiros de Obras Públicas, Industriais de Construção Civil e Fornecedores de Obras, a entidade responsável pela regulação da actividade da construção em Angola, liderada pelo seu Presidente, Eng.º Luís Filipe, que se fazia acompanhar por representantes do Ministério das Obras Públicas.

Nesta visita à AICCOPN, onde foi recebida pelo Presidente da Associação, Eng.º Reis Campos, a delegação angolana foi acompanhada por responsáveis do regulador português, o InCI - Instituto da Construção e do Imobiliário, nomeadamente pelo seu Presidente, Eng.º Ponce de Leão.

Revestiu-se, igualmente, de enorme importância a presença do Consulado de Angola, numa altura em que a problemática dos vistos de trabalho para Angola assume especial relevância nas preocupações das empresas de Construção.

A deslocação da delegação da entidade reguladora da actividade da construção em Angola à AICCOPN que, de acordo com Reis Campos, aconteceu no momento certo, permitiu ao líder associativo manifestar a disponibilidade da AICCOPN para colaborar com os reguladores do mercado angolano. "Este foi o primeiro de vários encontros com os quais pretendemos conhecer melhor a realidade do mercado angolano onde muitas empresas portuguesas de construção já estão presentes e que muitas mais, seguramente, olham como um desafio atractivo, particularmente numa altura tão difícil como aquela que o nosso sector está a viver em Portugal", afirmou. "Estas reuniões e a troca de contactos verificada constituem uma importante mais valia, não só pela informação obtida, mas, sobretudo, pela disponibilidade e abertura ao diálogo demonstrada pelos responsáveis da CONICLE, com os quais pretendemos o estabelecimento de canais de comunicação, que permitam, designadamente, uma maior colaboração e proximidade na resolução de eventuais problemas das empresas".

Destacando o facto de há muito vir defendendo que, na economia globalizada em que vivemos, a internacionalização se assume como um caminho cada vez mais importante e decisivo para as empresas portuguesas de construção, o Presidente da AICCOPN disse que Angola é, certamente, um dos mercados prioritários, "até pelos laços históricos e pela língua comum que nos une, alicerces fundamentais para uma aproximação que era inevitável".

A experiência das empresas portuguesas, a sua capacidade para realizar grandes obras, de que são exemplos a Expo'98 ou os estádios do Euro'2004, as provas dadas em países de diferentes continentes, a capacidade de adaptação e de relacionamento dos portugueses, bem como a excelência da engenharia nacional são, naturalmente, trunfos importantes para as empresas portuguesas de construção poderem encarar o desafio angolano com confiança.

A internacionalização é, de facto, uma aposta que importa vencer mas também uma oportunidade que não deve ser desperdiçada. E este é o objectivo da AICCOPN, que já no próximo mês de Outubro organizará uma sessão subordinada ao tema "O Mercado da Construção em Angola - Construir Oportunidades / Cimentar Parcerias", com a qual, para além de "procurar abrir novos horizontes às empresas portuguesas, pretendemos fazer de Angola não apenas um mercado importante, mas igualmente uma base de apoio para a entrada noutros mercados africanos", concluiu Reis Campos.

Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter