Comunicação / Notícias (outras)

AICCOPN Recebeu Missão Empresarial Romena
A AICCOPN - Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas recebeu recentemente, na sua sede, no Porto, uma comitiva empresarial romena que visitou o nosso país no âmbito de uma missão económica promovida pela Associação Romena de Construção (ARACO) em parceria com o Consulado da Roménia no Porto.

Composta por empresários romenos de diferentes sectores, incluindo o da construção e obras públicas, a comitiva integrava dirigentes da ARACO e o Director-Geral do Comércio Externo da Roménia, aos quais se juntou o Cônsul Honorário daquele país na Invicta, Emílio Leite Lopes, tendo por principal objectivo a troca de informações sobre cada um dos mercados.

Durante a visita à AICCOPN o Presidente da Associação, Reis Campos, focou as áreas e aspectos mais significativos da realidade do Sector, do que têm sido os últimos anos, marcados por uma significativa quebra de actividade, das perspectivas para o futuro próximo e da capacidade das empresas de construção nacionais para darem resposta aos exigentes desafios que lhes irão ser colocados pelos muitos projectos que deverão ser concretizados até 2017.

Na sua intervenção Reis Campos não deixou de destacar, também, a crescente internacionalização das empresas portuguesas do Sector, que se tem traduzido no reforço da presença em alguns mercados tradicionais, mas também na conquista de novos, nomeadamente no Leste da Europa, Roménia incluída.

O mercado romeno e a realidade do seu sector de construção foram apresentados, nas suas linhas gerais, por Constantin Cascavár, vice-presidente da ARACO, cabendo a Mircea Toader, Director-Geral do Comércio Externo da Roménia revelar os principais indicadores económicos do país e elencar as áreas de maior interesse para eventuais colaborações.

Refira-se que a Roménia tem cerca de 21,6 milhões de habitantes, dos quais 1,9 milhões se encontram na capital, Bucareste. O país é banhado pelo Mar Negro e faz fronteira com a Ucrânia, Bulgária, Sérvia, Hungria e Moldávia.

Actualmente o sector da construção romena emprega cerca de 380 mil pessoas, registando um défice de mão-de-obra provocado pela forte emigração que o país conheceu após o fim do regime de partido único e economia estatizada, em 1990. As estimativas actuais apontam para a necessidade de mais 150 a 200 mil trabalhadores para responder às necessidades do sector.

Em 2007 a construção na Roménia conheceu um crescimento da ordem dos 30% e as estimativas apontam para que, no ano em curso, se registe um acréscimo de 35% na actividade (nos primeiros dois meses cresceu 31% face ao mesmo período de 2007), beneficiando ainda de um forte impulso dado pelos fundos estruturais oriundos da Comunidade Europeia.

Empenhado em contribuir para a crescente internacionalização das empresas do Sector e apostada em criar condições que facilitem a entrada em alguns dos mercados mais importantes, Reis Campos, referiu que esta foi primeira abordagem às potencialidades e oportunidades da actividade da construção na Roménia, pelo que, "não deixaremos de equacionar o interesse na organização de uma missão empresarial portuguesa àquele País", correspondendo-se, desta forma ao convite formulado pelo Senhor Cônsul Honorário.

"As empresas portuguesas de construção já deram sobejas provas da sua capacidade e não deixarão de corresponder a mais este importante desafio", concluiu o Presidente da AICCOPN.

Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter