Comunicação / Notícias (outras)

Conjuntura FEPICOP - Maio

O investimento privado no Sector está em nítida desaceleração, o que revela a necessidade urgente do Governo adoptar medidas de apoio à Construção, para que a própria economia nacional possa iniciar a sua recuperação, sublinha a FEPICOP - Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas, na sua última análise conjuntural.

Os índices de produção da habitação e dos edifícios não residenciais privados deterioraram-se em Abril (respectivamente -20,0 e -11,4 por cento nos três últimos meses e face ao mesmo período de 2008).


Já o índice relativo aos edifícios não residenciais públicos registou uma subida significativa, o mesmo sucedendo com a engenharia civil, como resultado do aumento de 34,0 por cento do montante das adjudicações de obras públicas, que se cifrava, em Abril, em 1,7 mil milhões de euros. Curioso é que, em paralelo, assistiu-se a uma queda de 7,8 por cento do valor global dos concursos promovidos, permanecendo ainda como principais condicionantes à actividade neste mercado o excesso de concorrência, apontado por mais de 60 por cento dos empresários, os atrasos nos pagamentos e os muito baixos valores das bases de licitação.

Face a esta evolução, não é de estranhar que o índice de confiança dos empresários da Construção se mantenha a níveis muito baixos, como consequência da quebra de 27,5 por cento do nível da carteira de encomendas e que o número de desempregados do Sector tivesse subido 67,4 por cento no primeiro trimestre deste ano em termos homólogos.

Pode consultar na íntegra a nota de conjuntura de Maio, aqui.

Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter