Comunicação / Notícias (outras)

Estudo CPCI


A Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário - CPCI, nasceu para agregar interesses convergentes que se encontravam dispersos e, assim, à semelhança do que se passa noutros países comunitários, dar resposta às necessidades de um vasto sector que não estava representado, ao mais alto nível, no panorama associativo nacional.

Formalmente constituída e anunciada publicamente a 21 de Julho de 2009 e integrando praticamente todas as associações que constituem a vasta fileira da construção e do imobiliário, a Confederação garante uma visão global e integrada das mesmas, estando assim em posição privilegiada para diagnosticar os problemas e apresentar as propostas que melhor podem servir a dinamização de um Sector vital para a economia e para o emprego, bem como para o desenvolvimento consolidado do País.

Neste sentido, vem desenvolvendo um trabalho constante para evidenciar a verdadeira dimensão da fileira da construção e do imobiliário, cujo conjunto de actividades para além de constituírem o maior empregador nacional, representam um quinto do PIB, demonstrando a necessidade de, face a uma conjuntura desfavorável, serem implementadas medidas indispensáveis para a sua dinamização, factor de primordial importância para que o País possa voltar a crescer.


Com este documento traçamos uma panorâmica da situação que a fileira da construção e do imobiliário está a viver, avançamos perspectivas, revelamos os efeitos na economia e no emprego do investimento nesta área, destacamos as áreas de dinamização prioritária e, fundamentalmente, apontamos uma estratégia a seguir e um conjunto de medidas que urge tomar, essenciais para a definição de um desígnio estratégico e de um verdadeiro rumo para o Sector e para Portugal. No contexto global em que nos inserimos, é fundamental encontrar um novo posicionamento para a economia portuguesa que seja compreendido e aceite pela generalidade dos parceiros sociais e pelos cidadãos.

É por isso que esta Confederação não se tem limitado a chamar a atenção para os problemas que afectam o Sector. Essencialmente, tem sabido apontar caminhos e defender políticas coerentes e consistentes que podem fazer da construção e do imobiliário a locomotiva da recuperação económica.
Portugal não pode questionar permanentemente tudo o que está decidido. O debate é fundamental mas, estabelecido o necessário consenso e tomadas as decisões, importa planear, programar e executar. Só assim é possível conquistar a confiança necessária para haver investimento.

Foi a falta de um objectivo estratégico claro que ditou, em larga medida, o insucesso económico que marcou a última década. E é essa ausência de um rumo que impede o País de procurar, com determinação, os caminhos capazes de o fazerem sair da crise em que se encontra.

A CPCI pretende, assim, contribuir para a definição de prioridades, bem como, para a concretização de uma estratégia, que permita a Portugal um desenvolvimento sustentado capaz de nos fazer vencer os desafios da globalização.

Manuel Joaquim Reis Campos

Para aceder ao Documento da CPCI, clique Estudo_CPCI.

Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter