Comunicação / Notícias (outras)

Após 23 Semestres Consecutivos de Perda de Produção:


A CPCI - Confederação Portuguesa da Construção e Imobiliário, faz um balanço particularmente negativo da evolução do setor ao longo do primeiro semestre de 2013. A procura pública e privada dirigida ao setor da construção continuou em retração, neste período, originando uma quebra de produção pelo 23º semestre consecutivo. As estimativas apontam para uma quebra homóloga de 15% na produção no final de julho, o que eleva a perda total acumulada para 53,8%, desde 2002.

A redução do nível de investimento na economia é a principal causa da perda de atividade do setor, uma vez que o investimento em construção, que se situa no nível mais baixo dos últimos 32 anos, representa cerca de 60% do investimento total.

Alertando para os efeitos desastrosos ao nível do tecido empresarial e do emprego assegurado, observando-se, nos últimos 12 meses, uma redução de 71.535 empregos no setor, o que corresponde a cerca de um terço (31,2%) do emprego eliminado em Portugal, a CPCI considera que o País não pode perder mais tempo.

Este tem de ser o momento de viragem. É urgente inverter a pior crise de sempre nesta atividade, através da adoção de soluções adequadas para a dinamização da atividade económica e, em especial, da plena concretização das medidas previstas no "Compromisso para a Competitividade Sustentável do Setor da Construção e Imobiliário", que a Confederação assinou com o Governo em março passado e que se encontra em fase de implementação.

Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter