Comunicação / Notícias (outras)

INVESTIMENTO CAPTADO ATRAVÉS DO PROGRAMA “VISTOS GOLD” ATINGE CERCA DE MIL MILHÕES DE EUROS

  • 91% do Investimento total no âmbito do Programa "Vistos Gold", diz respeito à aquisição de bens imóveis

  • No terceiro trimestre do ano, o investimento estrangeiro no imobiliário ultrapassa os 200 milhões de euros

A CPCI - Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário, realça os últimos números oficiais do programa de "Vistos Gold", relativos ao mês de setembro, que apontam para um total de 950 milhões de euros captados por este programa, sendo que 91%, ou seja, 864 milhões de euros, dizem respeito à aquisição de património imobiliário.

No terceiro trimestre do ano, o total investido em imobiliário nacional, por via deste regime de incentivos, ascende a 200 milhões de euros, o que permite reafirmar a expetativa de atingir, até ao final do próximo ano, os dois mil milhões de euros em novos investimentos captados. Por nacionalidades, a China representa 80% das Autorizações de Residência concedidas.

A Confederação volta a destacar a necessidade de alargar a todo o território nacional os efeitos positivos dos programas de "Vistos Gold" e do Regime de Tributação de Residentes Não Habituais, através de uma maior promoção territorial e da articulação entre entidades públicas no sentido de valorizar a oferta de regiões com elevado potencial, em especial no interior do País, tirando partido de uma excelente rede de infraestruturas, das condições naturais de excelência e de uma riqueza social, cultural e patrimonial única no Mundo.

Considerando que o Governo deve ser capaz de medir os efeitos positivos desta iniciativa e tirar as devidas ilações, designadamente em matéria de políticas públicas de promoção do investimento, a CPCI diz que é tempo de reconhecer as potencialidades do território nacional e, sobretudo, de inverter um profundo défice que, no caso do investimento em construção, o qual representa 52% do investimento nacional, se traduz numa quebra, nos últimos 5 anos, de 44%.

A Confederação considera ainda fundamental que o Orçamento do Estado para 2015 assuma o investimento dos fundos europeus disponíveis como uma prioridade, com uma aposta forte no investimento público e com medidas impulsionadoras do investimento privado que, tal como demonstrado pelo programa de "Vistos Gold", são iniciativas com um impacto efetivo e que contribuem para a dinamização da atividade económica.

02/outubro/2014

Partilhar facebook Partilhar google+ Partilhar twitter